História


História da Escola Técnica Estadual Philadelpho Gouvêa Netto


A Escola foi criada em vinte e quatro de abril de 1956, como Curso Prático do Ensino Profissional, relativo ao ensino fundamental, pela Lei 77 de 27-02-1948, pelo Decreto-Lei nº 16108 de 14-09-1946, instalada no prédio da Rua Antônio de Godoy, nº 3564, Centro, São José do Rio Preto. As atividades tiveram início em 04 de junho de 1956 com o Curso Masculino de Ajustagem Mecânica. Em 14 de Setembro de 1956, foi transformada em Escola Artesanal, pelo Decreto nº 26417. Em 1958, além de Cursos Masculinos da Área de Mecânica, a Instituição passou a oferecer Curso Feminino de Economia Doméstica. Em 30 de abril de 1963, pelo Decreto 41.895, foi transformada em Escola Industrial. Em 18 de fevereiro de 1965, pelo Decreto 44.533, a Escola Industrial passou a denominar Ginásio Industrial Estadual de São José do Rio Preto. Em 17 de fevereiro de 1967, sob Lei nº 9.733, o Ginásio Industrial Estadual recebeu o patronímico “Philadelpho Gouvêa Neto”, em homenagem ao ex-prefeito municipal da década de 50.

Em 06 de novembro de 1970, o Colégio Técnico Industrial de São José do Rio Preto, relativo ao ensino médio, foi criado pelo Decreto nº 52.553, cujas atividades iniciaram em 15 de março de 1971, com dois cursos noturnos com duração de três anos: Técnico em Edificações e Técnico em Mecânica, no mesmo prédio em que funcionava o Ginásio Industrial Estadual “Philadelpho Gouvêa Netto”. Em meados do mesmo ano (1971), o Ginásio Industrial Estadual e o Colégio Técnico Industrial foram para o edifício escolar da Avenida Brigadeiro Faria Lima, nº 5541, Vila São José, prédio pertencente à Fundação Regional de Ensino Superior da Araraquarense (FRESA), adaptado pela Prefeitura Municipal.

Em 31 de dezembro de 1975, deu-se a extinção do Ginásio Industrial Estadual de acordo com o Decreto nº. 7.400/1975. Com isso, o Colégio Técnico Industrial de São José do Rio Preto incorporou o Ginásio Industrial Estadual “Philadelpho Gouvêa Netto” em virtude da transformação provocada pela Rede Física da Educação Estadual 7.400/1975. Nessa fusão, permaneceu apenas o Colégio Técnico Industrial, cujo Patronímico manteve o mesmo do Ginásio Industrial Estadual.

Com a criação de Centros Estaduais Interescolares, em conformidade com o Decreto nº. 7.400/1975, fundiu-se o Ginásio e o Colégio, logo, a Instituição passou a oferecer cursos técnicos somente de 2º grau, ou seja, relativos ao ensino médio, nos três turnos manhã, tarde e noite. Consequentemente, alterou-se a denominação da Instituição para Centro Estadual Interescolar “Philadelpho Gouvêa Neto”, autorizado pela resolução S.E. 22, de vinte e sete de janeiro de 1976.

Em janeiro de 1977, o Centro Interescolar “Philadelpho Gouvêa Netto” mudou para o prédio próprio, construído na Avenida Dos Estudantes, nº 3278, Jardim Aeroporto, graças ao trabalho do corpo docente e direção, juntamente com o Dr. Wilson Romano Calil, Dr. Clemente Pezzarini, Celso Volpe (Coordenador do Ensino Técnico), Ubirajara Ramos, e o Dr. Paulo Egydio Martins (Governador de São Paulo).

A inauguração do edifício escolar da Avenida dos Estudantes, nº 3278, Jardim Aeroporto, ocorreu em 06 de agosto de 1977, com a presença do Paulo Egydio Martins, governador do Estado de São Paulo, José Bonifácio Coutinho Nogueira, Secretário da Educação, Armando Francisco Poles, diretor do Centro Estadual Interescolar “Philadelpho Gouvêa Neto”, demais autoridades, funcionários, professores, alunos e convidados.

Em 15 de agosto de 1980, a Instituição passou a denominar Escola Estadual de Segundo Grau “Philadelpho Gouvêa Netto”. Em 10-06-1985, a Instituição passou a denominar-se Escola Técnica Estadual de Segundo Grau “Philadelpho Gouvêa Netto”.

Em 22 de outubro de 1991, pelo Decreto 34.032/91, a Escola Estadual de Segundo Grau Philadelpho Gouvêa Netto foi transferida para Secretaria de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico com todos seus bens móveis e imóveis.

Em 27 de outubro de 1993, pelo Decreto 37.735/93, a Instituição foi transferida para o Centro Estadual de Educação Paula Souza – CEETEPS, passando a denominar-se Escola Técnica Estadual Philadelpho Gouvêa Netto.